Como escrever um artigo científico?

Publicado em 26/06/2020 por Luzia Kikuchi

Para quem faz algum tipo de pesquisa acadêmica, como uma iniciação científica ou está fazendo um curso de mestrado ou doutorado, publicar e comunicar as suas pesquisas passa a ser uma rotina. A via mais comum para isso é apresentar em congressos, encontros e simpósios que reúnem pesquisadores de vários lugares para discutirem sobre um assunto comum à sua pesquisa ou à sua área. 

Outra forma é publicar em revistas científicas revisadas por pares. Citando apenas as vias mais formais e reconhecidas para concorrer a uma vaga de professor(a) ou pesquisador(a) em uma universidade pública, por exemplo.

No entanto, quando você vai escrever pela primeira vez um trabalho desse tipo, muitas dúvidas surgem na cabeça: “Como escrevo um artigo?”, “A pesquisa que estou fazendo vale a pena ser comunicada?”, “Como escolho um congresso?”, “Como escolho uma revista para publicação?” entre outras, só para citar as mais comuns.

Pretendo, a partir deste post e nos próximos, responder a cada uma dessas dúvidas que surgem comumente aos iniciantes na pesquisa acadêmica. Se você está com dúvidas de como escrever um projeto de pesquisa, você pode consultar o post no qual descrevo um passo a passo de como escrevê-lo.

No vídeo explico de uma forma resumida os tópicos que abordarei a seguir:

Já de antemão digo que a organização de um artigo científico não difere muito de um projeto de pesquisa com a ausência de uma ou outra seção em relação ao projeto (como a justificativa e o cronograma, por exemplo).

Para organizar melhor este texto, farei a apresentação por tópicos nos quais você pode clicar diretamente para consultar a seção de seu interesse:

  1. Elementos textuais ou formatação do texto;
  2. Título;
  3. Resumo;
  4. Abstract;
  5. Palavras-chave;
  6. Introdução;
  7. Material e métodos ou metodologia;
  8. Resultados ou Discussão e Resultados;
  9. Referências bibliográficas.
  1. Elementos textuais ou formatação do texto

Normalmente, seguir os padrões da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) é suficiente para a maioria dos artigos científicos, com uma ou outra especificidade de acordo com o evento ou revista. Por isso, sugiro que essa padronização seja feita de acordo com as diretrizes para onde deseja enviar o seu trabalho.

Se você quiser saber quais são alguns elementos padrões da ABNT, pode consultar aqui.

  1. Título

Nós pesquisadores, no geral, temos uma dificuldade para dar títulos aos nossos textos! (com raras exceções, é claro). Veja por exemplo o título da minha dissertação de mestrado: ele é tão grande que, às vezes, até eu acabo trocando uma ou outra palavra (rs).

“Obstáculos à aprendizagem de conceitos algébricos no ensino fundamental: uma tentativa de aproximação dos obstáculos epistemológicos e a Teoria dos Campos Conceituais”

Mas, para artigos científicos, o ideal é que o título seja o mais objetivo possível. Minha dica é que você deixe esse item por último e, depois de terminar o texto e o resumo, decida qual será o melhor título para ele.

  1. Resumo

Assim como no projeto de pesquisa, este item deve ficar por último, depois que o texto estiver pronto e ser responsável por trazer um panorama geral do que a sua pesquisa deve apresentar. Lembrando que o texto deve ter começo, meio e fim, pois ele é importante para chamar a atenção do leitor.

  1. Abstract

abstract nada mais é do que o resumo escrito em língua inglesa. Se você não domina ou tem dificuldades para escrever em inglês, pode tentar encontrar alguém que pode ajudar nesta tarefa. Se tiver ninguém, pode contratar um tradutor para escrever o abstract, mas esse serviço é cobrado por lauda* e o preço pode variar de acordo com a experiência desse profissional.

*Lauda é uma medida referencial muito utilizada por editores de texto para precificar o trabalho executado. A sua unidade pode variar entre páginas e número de palavras, de acordo com o tipo de tarefa a ser executada.

Para encontrar um profissional para esse tipo de serviço, você pode procurar nas faculdades onde há o curso de Letras, por exemplo, que é o mais adequado, já que eles estão acostumados com trabalhos acadêmicos. 

Mas, dependendo da especificidade do seu trabalho, pode ser necessária a contratação de um profissional da mesma área. Eu contratei a AJE (American Journal Experts) e recomendo o trabalho deles. Lá você pode encontrar um profissional de acordo com a área e cotar o preço de forma online antes de enviar o seu trabalho. A única desvantagem é que o preço é em dólar americano, pois a empresa é estadunidense. Por isso, o valor pode flutuar bastante de acordo com a cotação da nossa moeda frente à moeda norte-americana. Por ser um trabalho com custo relativamente elevado, recomendo que esse recurso seja preferencialmente utilizado em publicações com chances de circulação internacional.

Porém, se você tiver um pouco de facilidade no idioma, uma opção mais econômica e que costuma ser bastante eficiente é usar softwares de correção como o grammarly. Se o texto for pequeno, a versão gratuita é mais do que suficiente para execução do serviço. Se precisar de um pouco mais de elaboração, pode contratar o plano pago e escolher entre a assinatura mensal ou anual, de acordo com a necessidade (que ainda é mais barata do que a contratação de um tradutor, por exemplo).

  1. Palavras-chave

Escolher as palavras-chave para o seu texto nem sempre é uma tarefa tão fácil. Mas, como regra geral, é interessante pensar como você faria a busca para o assunto do seu artigo em uma base de dados. Para isso, o ideal é pensar no relacionamento do conteúdo de forma hierárquica: grande área, área específica, tema e conteúdo.

Alguns sites que podem ajudar na escolha das palavras-chave:

– Thesaurus Brasileiro da Educação (INEP)

– IBE Education Thesaurus (UNESCO)

– Thesaurus Europeu dos Sistemas Educativos (GEPE/PT)

O número de palavras-chave para o seu artigo também varia de acordo com o evento e revista, por isso, é sempre bom consultá-los no momento da elaboração.

  1. Introdução

Neste item, você deve apresentar o contexto da sua problemática de pesquisa, com uma fundamentação teórica baseada na literatura nacional e/ou internacional (com trabalhos recentes de até cinco anos) mostrando a relevância do tema.

As dicas são parecidas com o que eu apresentei no post sobre projeto de pesquisa, mas com a diferença que, no artigo científico, você já desenvolveu a pesquisa e está apresentando todos os passos seguidos para obter os resultados apresentados.

  1. Material e métodos ou metodologia

Neste item, deverá ser explicitado que tipo de pesquisa foi conduzido para apresentação dos resultados. Na área de Educação, as pesquisas mais comuns são as seguintes:

  • Revisão sistemática de literatura

Na revisão sistemática, o objetivo é compilar pesquisas, de um determinado período, publicado em um determinado acervo, que ajudem a responder uma pergunta de pesquisa. Neste caso, o autor deve selecionar os materiais que tragam resultados relevantes para responder a problemática do tema. É importante também explicitar a forma como essa busca foi feita (local do acervo, palavras-chave utilizadas para a busca) e como foi executada a seleção do respectivo material coletado.

  • Estudo exploratório

Já no estudo exploratório, o objetivo central dessa pesquisa é elaborar um instrumento de pesquisa que possa ajudar a compreender algumas informações sobre um determinado público-alvo e possibilitar a problematização de assuntos acerca dele. Normalmente, ele é desenvolvido por etapas (como um estudo piloto e final, por exemplo, mas pode haver mais, de acordo com a complexidade do objeto pesquisado) e cada uma delas ajuda a filtrar e melhorar as informações que serão obtidas com cada etapa. Além disso, o estudo exploratório não tem como característica responder de forma absoluta a um problema, mas de trazer evidências para discussões relacionadas ao tema.

  • Estudo de caso

Neste tipo de estudo, procura-se analisar as características únicas de um objeto, um grupo ou indivíduo que possam ser usadas como referência para ilustrar outros casos. Também é possível replicar um estudo exploratório de outra pesquisa, desde que tenham objetivos semelhantes, para obter dados comparativos entre dois grupos, por exemplo.

É importante lembrar que, tanto no estudo exploratório quanto no estudo de caso, é necessário explicitar as características do público-alvo e a forma de seleção dos sujeitos participantes da pesquisa.

  1. Resultados ou Discussão e Resultados

Como o próprio nome já diz, você deverá apresentar os resultados mais relevantes obtidos por meio do seu estudo. Neste item, também é interessante fazer as considerações relevantes como: o que deu certo ou errado, que tipo de constatação inusitada foi percebida, se houver, e quais os passos para uma próxima pesquisa.

Em alguns casos, há uma seção chamada considerações finais que é onde deverá ser apontada as expectativas para as futuras pesquisas obtidas a partir da atual. Na ausência dessa seção, é possível colocar neste mesmo item de resultados.

Também depois das considerações finais ou resultados, pode haver ou não a seção agradecimentos que normalmente é utilizado para mencionar se a pesquisa foi realizada com ajuda de verbas de alguma agência de financiamento ou com a colaboração de alguma instituição que mereça ser mencionado.

  1. Referências bibliográficas

Aqui também, dependendo do evento ou revista, o padrão pode seguir o ABNT, APA ou Vancouver. O mais comum é o ABNT e o APA e, normalmente, eles apresentam o padrão que deve ser utilizado como exemplo. Na ausência desse material, pode ser consultado, por exemplo, no acervo de teses e dissertações da Universidade de São Paulo.

Em um próximo post, passo para outras questões relacionadas à publicação de artigos que mencionei no começo deste texto.

Deixe nos comentários se ficou algum ponto que não ficou esclarecido sobre como escrever um artigo científico e que vocês gostariam que eu escrevesse a respeito.