Como avaliar a aprendizagem dos alunos? Parte 2

Publicado em 11/12/2020 por Luzia Kikuchi

No post anterior, comecei a falar sobre este assunto, mas, como ficou muito extenso, resolvi dividir em duas partes: primeiro falei sobre como fazer uma avaliação da aprendizagem baseada em projetos e hoje falarei sobre como avaliar a aprendizagem utilizando mapas conceituais.

É importante ressaltar a diferença dos mapas conceituais com os mapas mentais! Neste post expliquei um pouco sobre suas distinções. Quando falo de mapas conceituais, me refiro a uma ferramenta criada por Joseph Novak que possui pesquisas e metodologias específicas para sua construção.

É possível utilizar os mapas conceituais de duas formas:

  1. Construída pelo próprio aluno;
  2. Construída pelo professor para análise do aluno.

No primeiro caso, quando o aluno constrói o próprio mapa, é necessário que a sua pergunta focal (título do mapa que se pretende desenvolver) seja bem direcionada. Então, a dificuldade em construir ou não o mapa conceitual pode ser avaliada no momento que o aluno define a sua pergunta focal. A partir disso, o professor pode analisar a forma como o aluno construiu o mapa observando aspectos como: clareza da proposição elaborada, utilização de conceitos e verbos de ligação adequados para formar uma sentença que seja correta. Além disso, a organização hierárquica do conceito mais genérico para o mais específico é muito importante para manter a clareza da leitura de um mapa.

Veja o exemplo comparativo de dois mapas que representam o mesmo conteúdo, mas, diferente do primeiro à esquerda, o segundo é muito mais fácil de compreendê-lo.

Crédito da imagem: notas de aula da disciplina sobre mapas conceituais ministrada pelo Prof. Paulo Correia da USP.
Para mais informações, consulte: www.mapasconceituais.com.br

Lembrando que um mapa conceitual nunca está totalmente finalizado. Ele é uma “fotografia” do aprendizado que o estudante apresenta naquele momento sobre o tema. É possível que, no futuro, o que foi julgado como finalizado anteriormente possa enveredar em mapas com ramificações maiores. E aí está a versatilidade desse modelo de avaliação.

Veja o trecho do vídeo onde mostro o exemplo do mapa:

Já no segundo caso, o próprio professor pode, por exemplo, inserir alguns erros de forma proposital para que o aluno possa analisar e perceber se há algo de estranho. A percepção e modificação desse conceito por outro melhor para torná-lo correto também é uma forma de representar o aprendizado do aluno, o que permite avaliar o seu nível de compreensão sobre determinados conceitos estudados.

Veja o trecho correspondente no vídeo:

Quais são as ferramentas para construir mapas conceituais?

Softwares de edição de texto que permite inserir alguns elementos gráficos como Word, Power Point ou Paint podem ser utilizados para construir mapas conceituais. No entanto, dependendo do número de elementos, pode ser um trabalho “engenhoso”. Dessa forma, um software como o Cmap Tools, que é próprio para a construção de mapas conceituais, seria o mais adequado para construir mapas com facilidade.

Passo a passo para instalar o CmapTools:

Vou demonstrar um passo a passo de como baixar e instalar esse software no seu computador (obs.: minha versão é para o MacOS – computadores da Apple – então pode ter uma pequena diferença no gráfico).

  1. Acesse o site https://cmap.ihmc.us/products/ e clique no ícone CmapTools conforme figura 1:

Figura 1 – Tela do passo 1, escolhendo o software para baixar o CmapTools.
  1. Na página seguinte, será necessário preencher um pequeno formulário com os seus dados. Veja na figura 2 um exemplo de preenchimento: (depois da imagem coloquei a tradução do formulário). Os itens marcados com asterisco são de preenchimento obrigatório:
Figura 2 – Tela do passo 2, preenchendo o formulário para baixar o software.

Tradução do formulário da tela:

Endereço de e-mail:

Primeiro nome:

Sobrenome:

Tipo de licença:

Nome da empresa/organização para a qual deseja licenciar o uso:

País:

Sistema operacional:

3 + 1 = (coloque o resultado da soma que aparecer na tela. Isso serve para evitar spam).

Depois de preenchê-lo por completo, clique em “Submit” (Enviar).

  1. Ao apertar o botão “Submit” (Enviar) aparecerá a tela como da figura 3. Escolha a versão do sistema operacional que você utiliza no lado direito. É importante ler os requisitos mínimos*, escritos na tela, para que o software rode adequadamente no seu computador.
Figura 3 – Tela do passo 3, requisitos mínimos para baixar o software.

*Tradução dos requisitos mínimos:

As versões do CmapTools v6 exigem a instalação do Java 7 (ele está incluso como parte da instalação), além disso, o computador precisa ter capacidade para rodar o Java 7.

Lista dos sistemas operacionais recomendados:

Windows:

  • Windows 10, 8 (Desktop), Windows 7, Windows Vista SP2, Windows XP.

OS X:

  • Mac com processador Intel com sistema operacional versão 10.7 (Lion) ou superior.

Linux:

  • Oracle Linux 5.5+, Oracle Linux 6.x (32-bit), 6.x (64-bit)*, Red Hat Enterprise Linux 5.5+, 6.x (32-bit), 6.x (64-bit)*, Ubuntu Linux 10.04 and above, Suse Linux Enterprise Server 10 SP2, 11.x * apenas os Java VM 64-bit são certificados pela Oracle.
  1. Abra o arquivo de instalação baixado do site. Normalmente, esses arquivos baixados na internet encontram-se na pasta “Downloads” ou na área de trabalho. Aparecerá um programa para instalação semelhante a essa tela da figura 4 (obs.: pode ser um pouco diferente de acordo com o sistema operacional). Clique no botão “Next” (próximo), no canto inferior direito:
Figura 4 – Tela do passo 4, primeira tela de instalação.
  1. Na tela seguinte, figura 5, selecione a caixa concordando com o termo de licença do software. Depois aperte novamente o botão “Next”:
Figura 5 – Tela do passo 5, seleção acordando com o termo de licença.
  1. Na tela da figura 6, selecione a primeira opção “Typical Configuration” (Configuração típica) que é mais adequada para a maioria dos usuários, pois ele configurará o seu programa de forma automática. Depois aperte o botão “Next”:
Figura 6 – Tela do passo 6, selecione a configuração típica.
  1. Na tela da figura 7, o programa exibirá o resumo das configurações do software que você está instalando. Não é necessário tomar nenhuma ação neste passo. Apenas aperte o botão “Install” (Instalar). Caso você esteja com falta de espaço no seu disco rígido, provavelmente ele avisará ao clicar nesse botão.
Figura 7 – Tela do passo 7, resumo das informações do software que está instalando.
  1. Neste passo, da figura 8, o programa apenas informa os idiomas disponíveis. Ele automaticamente rodará no idioma que você estiver usando no seu computador. Não é necessário fazer nenhuma ação neste passo. Clique no botão “Next”:
Figura 8 – Tela do passo 8, lista de idiomas disponíveis. O idioma português disponível é o de Portugal.
  1. Aqui, na figura 9, está o aviso de que o programa foi instalado com sucesso. Aperte o botão “Done” para concluir o instalador.
Figura 9 – Tela do passo 9, conclusão da instalação do CmapTools.

Pronto! Agora basta encontrar o ícone do CmapTools (Figura 10)  no menu de programas do seu sistema operacional para começar a rodá-lo.

Figura 10 – Ícone do CmapTools.

Lembrando que você também tem a opção de rodar este programa direto do navegador, sem precisar instalá-lo no seu computador, acessando este link: https://cmapcloud.ihmc.us Na figura 10, você pode ver a tela onde há duas opções: “Create na account” (Criar uma conta) ou “Sign in” (Logar com seu e-mail e senha cadastrado previamente).

Figura 10 – Tela para utilizar o CmapTools direto do navegador.

No vídeo também demonstrei como montar mapas conceituais sem a utilização do computador.

Obviamente, poderia citar inúmeras outras formas para avaliar a aprendizagem, mas tentei citar as principais que estão ganhando mais espaço nos ambientes escolares, mas que ainda carecem de ampla divulgação, principalmente, na educação básica. Se você quiser que eu aborde de forma mais detalhada alguma dessas propostas, deixe aqui nos comentários!